terça-feira, 16 de maio de 2017

Como se algum leão estivesse interessado em comprar ilusões!...

Green CompanySellers of illusions
Mais um longo ensaio de quase três horas com vista à preparação do samba que se adivinha mais uma vez monótono e entediante para a próxima época! Muitas fusas e semifusas, colcheias e semicolcheias, mas ninguém terá muitas dúvidas de que o samba continuará a ser tocado com uma única e narcísica nota, que este duo estará demasiado habituado ou até viciado em coçar nos respectivos umbigos, sempre nas mesmas cordas, nas mesmas posições e com os mesmos, dominantes e repetitivos arpejos!...

É bem provável que o público venha a escassear no concerto de encerramento da época festivaleira e que em Alvalade os "presuntos" voltem a ocupar o lugar que a história e a mística apenas deveriam permitir que coubesse ao rugido dos leões. 

Mas a "Green Company" cega e surda perante o clamor que irrompe da "savana", parece disposta a fazer "ouvidos de mercador", a mandar às urtigas o rugidos de milhões de leões e a continuar a "vender ilusões" ao desbarato!...

Há quem diga que os restantes componentes da banda, deixaram de respeitar/acreditar nos líderes, directos e indirectos, próximos ou remotos, e que dar a volta a isto será uma tarefa hercúlea, senão mesmo impossível. Outros afirmam que é preciso um director "musical" para a banda, com passado que por si só determine respeito e responsabilização e que tão ou mais preciso será um departamento "musical" moderno, avançado, com um núcleo de scouting de topo capaz de descobrir e trazer talento a sério para que a banda em vez de estiolar com a "música pimba" com que, teimosamente, persiste em tentar alterar-nos os gostos, possa vir a ser capaz de imitar o feito do Salvador! Mas a surdez, a estúpida teimosia e a estafada argumentação de "lana caprina", parecem indiferentes aos clamores que o vento traz da savana!...

Como se algum leão estivesse interessado em comprar ilusões!...

Leoninamente,
Até à próxima

19 comentários:

  1. Caro Alamo, concordo em pleno com a leitura que faz no seu Post.
    Neste momento, torna-se mais importante refletir no que correu mal nesta época em nossa casa e tentar perceber o que se está a preparar para o futuro, que pelos vistos não nos trará nada de bom. A ver vamos.
    Podemos e devemos criticar e denunciar tudo o que de estranho, ridículo e mau aconteceu externamente ao Clube e que condicionou a produção desportiva da equipa, mas, antes de continuarmos nessa "batalha" quixotesca, devemos fazer uma grande introspecção à forma como o projecto desportivo 2016/2107 fracassou.
    Embora seja um sócio, adepto, apoiante e votante em Bruno de Carvalho, (tal como a minha familia), não posso deixar de estar bastante desiludido com o apoio incondicional que o Presidente apregoa na continuidade de Jorge Jesus na orientação da equipa para a próxima época. Penso, e espero estar enganado, mas poderá ser o fim do estado de graça de Bruno de Carvalho entre os adeptos. Já tinha dito isto na altura das eleições e volto a dizer agora: Jorge Jesus vai ser o maior problema que Presidente tem para resolver.
    Vejo muitos a defenderem Jorge Jesus dizendo que é o "maior" e "melhor" treinador a treinar em Portugal. Será? O que é que Jorge Jesus fez de transcendente até chegar a Carnide? Era um treinador completamente banal, conseguindo, no entanto, atingir maior notoriedade do que tinha tido como jogador. Mas há algo que não nos podemos esquecer: os mesmos que endeusaram Jorge Jesus nos tempos em que foi campeão, são os mesmos que defendem a cartilha e que todos os dias bajulam e defendem o Estado Lampiónico e que entretanto o arrasam, só porque está no Sporting; são os mesmos que elevaram Jorge Jesus ao estatuto de "galáctico" e que estão a fazer o mesmo a Rui Vitória, mais um treinador banal, que o maior feito que fez até chegar a Carnide, foi ganhar uma Taça de Portugal a... Jorge Jesus.
    Os 2 últimos jogos foram o epilogo de uma derrocada que começou com o jogo de Madrid. Após a frustrante derrota e depois das aberrantes afirmações que o treinador fez acusando os jogadores, foi o principio da destruição do "balneário". Um comandante que se preze deve ser sempre o primeiro a assumir os erros e as desilusões e ser sempre o último a reclamar os louros. O autismo de Jorge Jesus leva-o a fazer exatamente o contrário, demonstrando uma pequenez típica dos medíocres que têm que estar sempre a auto-elogiar para se fazerem notar e não serem esquecidos.
    Do que não me esqueço é das suas afirmações em que dizia que o Presidente lhe tinha dado tudo o que pedira.Pois é, mas no entanto falhou em todas as frentes.
    Há muito tempo que o ambiente no balneário é mau e isso foi uma das principais causas internas do nosso descalabro. E para provar o que digo, basta ver quantas vezes o Presidente teve de dar a cara e pedir desculpa aos adeptos, sem nunca se ouvir uma palavra da parte do treinador a reconhecer que errou. Mas quando ganhávamos, era o primeiro aparecer aos saltos a dizer que tinha sido por causa dele. Simplesmente ridículo. Como é que acham que ficam jogadores, alguns deles internacionais (coisa que não me lembro que o treinador tenha sido) e com cartel lá fora depois de ouvirem isto? Fica a pergunta, mas se fosse comigo não ficava nada satisfeito.
    Mas se alguém e com toda a legitimidade, não concordar com esta minha leitura, diga-me o que é que sentiu, quando o treinador depois do último jogo começou logo a a arranjar desculpas para a próxima época. Pois bem, depois dessas afirmações, para mim, Jorge Jesus não tem legitimidade e capacidade para continuar a treinar o grande Sporting Clube de Portugal.
    Temos que ser os melhores, mesmo contra todas as adversidades.
    Temos que dar sempre tudo com honra, esforço, dedicação mas com humildade.
    Temos que ser SPORTING CLUBE DE PORTUGAL e não o a equipa de Jesus.

    S. L.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Subscrevo linha a linha, com vírgulas e pontos incluídos, todo o comentário do caro Leão da Estrela e toda a profunda decepção que encerra. E note que em termos eleitorais, eu e toda a gente cá de casa, estamos rigorosamente numa posição igualzinha à sua.

      Foi a fé e esperança de BdC alterar o seu rumo, nomeada e fundamentalmente comunicacional, que nos levaram a dar-lhe o benefício da dúvida para mais um mandato. Mas minutos depois de se confirmar a sua eleição, fez-me arrepender mil vezes com a "bardamerda" e de então para cá tem sido um horror pior que antes.

      Sobre JJ, julgo que tão deselegante e tanto mal tem dito dos seus comandados que a admiração por parte destes se transformou em desagrado, raiva e ódio e não sei se estarei errado ao deixar que por vezes me passe pela ideia de que lhe estarão a fazer a cama como já assistimos a tantos e tantos treinadores, cá por casa e lá por fora!...

      O meu postal de hoje não acontece por acaso e sinto que não estou sozinho ao navegar por essa imensa blogosfera leonina. Os apoiantes de ontem são hoje críticos acérrimos e a culpa não será de tantos e tantos leões espalhados por esse mundo fora. Já não suportamos mais a vaidade, o egocentrismo, o estúpido narcisismo tanto do presidente como do treinador. Reconheço que custaria uma fortuna dispensar JJ e nesta altura talvez não fosse uma boa solução. Mas temo que no final da próxima época chegaremos à conclusão de que foi tempo perdido!...

      SL

      Eliminar
  2. Que profunda desilusão e realista constatação, sem um pingo de dúvida, que nos preparamos para mais do mesmo por parte deste duo! Mas o BdC ainda não percebeu que já ninguém pode ver este iluminado egocêntrico no banco do Sporting?! Ao mínimo deslize na próxima época o ar vai-se tornar irrespirável no estádio e a contestação vai estar à distância de um click!
    Faz lembrar a segunda época do Peseiro!
    Como é triste ainda a época não ter iniciado e as perspectivas serem tão negras! Mas não há ninguém que ponha isto na cabeça do BdC?
    Ou será que estamos na presença de um duo de iluminados egocêntricos? Upss! Fugiu-me a boca para a verdade!
    Como diria o diácono Remédios : Ó balha-me Deuzzz!!

    ResponderEliminar
  3. Ilusões, ilusões, ilusões...que tonto fui!

    ResponderEliminar
  4. Há poucos meses (antes das eleições) defendi a continuidade do Presidente e do treinador. Do presidente porque havia um projecto em curso para o Sporting, sobretudo no plano Financeiro, das infraestruturas em curso, e da expectativa que o mesmo fosse suficientemente inteligente para corrigir aspectos da comunicação e da relação demasiado próxima com o banco da equipa profissional. Do treinador, porque não via alternativa válida a breve prazo e na expectativa que J.J. seria suficientemente inteligente para mudar a sua atitude arrogante e deixasse consequentemente de atirar para cima dos seus atletas a culpa dos insucessos de que ele seria o principal responsável. Acontece no entanto, que desde o Sporting-Belenenses detectei no comportamento do plantel uma enorme falta de crença e confiança no sucesso, mas mais que isso, conforme escrevi há dias num outro blogue, o plantel já não confia no treinador nem na sua competência. E isto é o mais grave que tudo, muito mais importante do que a crença ou descrença que nós adeptos temos na liderança ou no futuro desta equipa. Quem jogou futebol pelo menos ao nível dos campeonatos da F.P.F, percebe claramente o estado de espírito revelado pelos atletas dentro do campo nos dois últimos jogos da equipa. Por favor não acusem os jogadores de falta de empenho e espírito de luta. Nada disso ocorre. Os atletas lutam porque tem que lutar, esforçam-se sem sucesso e sem convicção. Nenhum atleta a este nível competitivo e mais ainda num final de época, tempo de afirmação, deixam de ter empenho, arreganho até. Mas isso nada serve se não houver confiança e convicção, sobretudo transmitidas pelo líder. Não peçam mais a Adrian que procura cumprir sem desfalecimento, mas já não tenta arrastar ninguém do grupo porque para se arrastar alguém, nossos companheiros, temos que estar confiantes e acreditar, e Adrian já não confia no líder nem acredita. O grupo deixou de acredita em J.J. e este é de facto o maior problema actual do Sporting e o responsável pelos recentes insucessos. Os Atletas já não acreditam em J.J. e já não confiam na sua competência. J.J já perdeu o balneário. E quando assim é como será o futuro? é isto que me parece o mais grave independentemente de eu, como o universo leonino, não termos ilusões relativamente a um futuro que nos parece cada vez mais do mesmo...O sucesso ou insucesso acontecerá pela acção dos actores e o seu nível de confiança no seu líder.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É minha profunda convicção de que nem uma vírgula do teu comentário deixa de estar correcta, meu grande e velho amigo Vitor Cruz. E só eu sei o quanto tenho de arrepiar os cabelos e roer as unhas para conseguir escrever isto...

      Nunca joguei futebol a nível federativo, ao contrário de ti que andaste por lá tantos anos, desde os esperançosos tempos do Beira-Mar até aos voos mais altos a que conseguiste chegar. Sabes portanto o que é um balneário e o que ultimamente temos visto nos relvados será o espelho fiel do ambiente de cortar à faca em que JJ o transformou para um qualquer adepto, quanto mais para ti que ao longo de mais de uma década como praticante e nem eu sei quantas como treinador, tiveste tempo suficiente para hoje saberes o que dizes...

      Obrigado Amigo, pelo teu oportuno e sempre esclarecido, justo e profundo comentário.

      Grande abraço.

      Eliminar

  5. domingo, 14 de maio de 2017
    Ide em paz (e quem quiser que vos acompanhe)


    Que o Sporting não tem treinador (para mim, acabou depois do jogo em Tondela, quando não quis ver a solução e o futuro), já todos percebemos. Veremos é se ainda temos Presidente...

    À saída de mais uma época desastrosa e a escassas semanas de entrar numa nova (que não augura nada de diferente ao que estamos habituados), gostava que me esclarecessem umas dúvidas:

    - qual a diferença entre um Bojinov e um Castaignos?
    - qual a diferença entre um Gauld e um Rubio?
    - qual a diferença entre um Onyewu e um Sarr?
    - qual a diferença entre um Boulahrouz e um Douglas?
    - qual a diferença entre um Xandão e um Ciani?
    - qual a diferença entre um Miguel Lopes e um Schelotto?
    - qual a diferença entre a má venda do Carriço e a má dispensa do André Martins?
    - qual a diferença entre um Ventura e um Jug?
    - qual a diferença entre um Joãozinho e um Marvin?
    - qual a diferença entre um Elias e um... Elias?
    - qual a diferença entre o gasto cego e despropositado num Pongolle e num Alan Ruiz?
    - qual a diferença entre a insistência cega num Capel ou num Bryan Ruiz?
    - qual a diferença entre um Pranjic e um Markovic?
    - qual a diferença entre um Gelson Fernandes e um Petrovic?
    - qual a diferença entre um desterro para Israel do Adrien e 3 empréstimos (sem justificação) de Iuri?
    - qual a diferença entre a má venda de João Pereira em 2012 e a péssima dispensa em 2017?
    - qual a diferença entre ter um Dier preso só por 5M ou vender um Cédric por 5M?

    Até ver, a diferença é só uma: um vergonhoso 7º lugar...
    É isso que segura esta Direcção e é isso que ainda se usa para argumentar a favor de quem tem feito tão pouco pelo sucesso desportivo deste clube.
    Ah... e também há um Pavilhão, mas esse foi pago pelos sportinguistas, por isso não deveria contar.

    É tempo da Direcção dirigir, a sério, o clube. Um clube que é histórico mas que (já) não é Grande.
    #MaldiçãoJoãoRocha

    Espero sinceramente que Luís Martins já esteja a preparar a próxima época (com Jesualdo Ferreira, se fosse possível).
    Não peço um Sporting campeão. Peço Respeito, Humildade e Trabalho. Não deve ser assim tão difícil.


    ps: em quase 25 anos de sócio e 30 como adepto, o Sporting já me deu quase todas as "alegrias" possíveis:
    - derrotas e eliminações humilhantes contra equipas do 3º mundo futebolístico;
    - derrotas e goleadas contra rivais históricos;
    - perder final da Taça com a Académica;
    - perder final europeia em casa, apesar de estar a vencer;
    - perder a Liga a duas jornadas do fim;
    - eliminações da Taça, em Alvalade, contra equipas de escalões inferiores;
    - derrotas consecutivas;
    - 7º lugar;

    Como adepto, poderia pensar que já vivi de tudo. O pior é que o Sporting tem sempre a capacidade para nos surpreender. E um dia virá algo pior do que tudo isto que mencionei. É esperar, eles conseguem...

    por Cantinho do Morais em 10:59

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não poderia concordar mais! É a chamada fuga para a frente! Será que só eu é que reparei que estas últimas contratações fazem lembrar, e muito, o carnide num passado não muito longínquo, e já no reinado do Orelhas, quando após épocas desastrosas de serem derrotados em toda a linha pelos andrades, passado poucos dias enchiam as páginas dos jornais com magotes de contratações para atirar areia para os olhos dos adeptos! Infelizmente estamos no mesmo caminho e enquanto não nos organizarmos internamente e pensarmos só em nós vamos continuar assim neste registo muito do agrado da concorrência! Temos de nos preocupar e lutar contra eles mas é na sombra e nos locais indicados, não na praça pública vulgo Facebook! Isso é para os adeptos que pensam com o coração e dizem o que lhes vai na alma sem a responsabilidade de dirigir um clube como o Sporting! Desculpem lá mas dá para se portarem como adultos?

      Eliminar
  6. Alguém me explica o que se passa aqui...??? Pensava que 'este' SPORTING já tinha acabado... fool me... estava apenas à espera da melhor oportunidade para re-acordar... Para além da sina desportiva há outras que tb custam a mudar... Talvez tenhamos o que merecemos... mas relembro a linhas de críticas contundentes aquando das permanentes mudanças sem rumo e sem nexo...

    Pode não ser a solução que mais desejem... mas a começar assim (o que ainda nem sequer começou - esta é mesmo inédita - p pioneirismo é mesmo um gene leonino...) GARANTIDAMENTE terão todos razão... VAI SER UMA TRAGÉDIA...

    É como a pescada... Antes de ser..., já o era

    SAUDAÇÕES LEONINAMENTE LEONINAS

    ResponderEliminar
  7. Caros Sportinguistas apoiantes de BdC, agora de nada vale lamentarem-se.Estão atrasados 6 meses. Bem vos avisei.
    SGL

    ResponderEliminar
  8. Que ninguém lá apareça no domingo é o que eu desejo. Pode ser que assim abram os olhos e vejam as divergências que estão a criar com os sportinguistas.

    ResponderEliminar
  9. É concerteza caso de estudo a extrema facilidade com que os sportinguistas passam do estado eufórico, por vezes histérico, ao mais elevado estado depressivo.
    E vice-versa.
    Já agora gostaria que o meu caro Álvaro e o Vítor, sim aquele que jogava no velho Mário Duarte e tantas vezes aplaudi, me respondessem a uma pergunta :Foi a equipa, quando digo equipa digo plantel, da época passada que excedeu todas as expectativas reais ou a desta época que teve um desempenho muito aquém das mesmas?
    Saudações Leoninas

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Por aqui não mora nenhum Álvaro...

      Eliminar
    2. Peço imensa desculpa. Concerteza que me penetencio pela troca de nome. A mesma teve a ver com a aplicação do telemóvel que assume palavras que conhece mas que não escrevi e que desconhece. De qualquer modo deveria ter revisto antes de enviar.
      Mais uma vez, o meu pedido de desculpas.

      Eliminar
    3. Desculpas naturalmente aceites, passo a dar a minha resposta. O nível qualitativo de ambos os planteis, sendo ligeiramente diferente, jamais justificará a colossal diferença verificada nas duas épocas. A meu ver, com os tremendos erros comunicacionais resultantes da estúpida exaltação do seu ego, Jorge Jesus foi perdendo sucessivamente o balneário até ao ponto dramático em que se encontra hoje!...

      Tenho profundas dúvidas sobre se quem comete os erros lapidares que JJ cometeu, terá estrutura intelectual para dar a volta ao texto!...

      SL

      Eliminar
    4. Meu caro amigo. Numa primeira época com um treinador, mais ainda com títulos de campeão recentes, a motivação e a confiança dos jogadores é muito grande e o seu desempenho atinge maiores níveis de forma. E para que essa forma se mantenha é indispensável que aconteçam vitórias que mantêm os níveis de confiança elevados. O sistema de jogo praticado no ano passado no Sporting era, por outro lado, uma continuidade do que vinha de trás dos anos anteriores, com os mesmos actores (Adian William, Slimani, João Mário, etc) mais amadurecidos e contando com o reforço de novos jogadores para um sector defensivo que nos anos anteriores era muito frágil, o que veio garantir maior consistência e equilíbrio ao grupo. Ao contrário do que se pensava Jesus não veio implementar um modelo à Benfica, com solidez defensiva e rápidas e vertiginosas transições ofensivas. Nada disso. O modelo de jogo do Benfica de Jesus continuou o mesmo com Vitória e o Sporting do ano passado continuou a ser uma equipa de posse e de ataque planeado, raramente usando o ataque rápido, como era antes, mas agora com um sector defensivo mais assertivo (as transições defensivas do Sporting de Marco eram por vezes catastróficas). O Sporting manteve o modelo porque os executantes nucleares do jogo já jogavam assim. A equipa estava equilibrada e tirando o período de Dezembro-Janeiro, ganhava e isso é fundamental para acreditar no treinador. Não obstante já aí J.J. cometeu erros de palmatória, entrando em declarações arrogantes e ofensivas relativamente ao rival que criaram mal-estar, e Bruno não melhorou nada com as suas comunicações o clima de conflito que viria a ser muito motivador para a reacção do ofendido e do Benfica, que se aproveitou disso para motivar o plantel.
      Acredito que nesta época a confiança inicial no treinador fosse ainda alta na sequência do excelente final de época anterior, mas depois começaram os equívocos, muitos novos jogadores de qualidade duvidosa, a saída de Slimani, muito importante na primeira linha da transição defensiva, algumas arbitragens maldosas claramente travando o “leão” e os dislates de um líder (vide jogo em Madrid), que ao contrário do que é habitual nos treinadores que elogiam os seus atletas (por vezes com excessos de humildade) pelos desempenhos positivos, começou a menorizar a qualidade destes, atribuindo o seu sucesso à sua liderança. Não é muito grande o dano no plantel quando se ganha, mas passa a ser notável quando se perde e quando o mesmo líder falha táctica e estrategicamente incluindo em muitas substituições operadas durante os jogos. E os jogadores dão-se conta disso e deixam de admirar e confiar no líder. Está traçado o caminho para o insucesso.

      Eliminar
    5. Além disso o modelo da transição ofensiva tornou-se cada vez mais horizontal em largura (em U) Deixando há muito de ser suficiente para desorganizar as equipas adversárias. Como o Sporting faz a maior parte do tempo, circulando a bola fora do bloco, em largura, por mais velocidade que se meta nessa circulação não se desequilibra nem desgasta o adversário e não se criam oportunidades para finalizar . Há meses defendi neste Blogue, que o que falhava claramente no Sporting era o modelo de jogo, que assentava bem no ataque planeado, apoiado na posse, mas que era destituído de agressividade e imprevisibilidade nos últimos 30 metros sendo totalmente ineficaz e apresentando um défice claro de soluções de verticalidade, alternadas com envolvimentos laterais, pelos corredores. Leia-se o que a propósito escreve “Blessing” do Blogue “Posse de Bola”: “…se o objectivo for criar espaço, então o melhor é desposicionar o adversário sem lhe dar hipótese ou aos colegas de reagir a tempo de fechar o espaço que foi criado. …Atacar a profundidade, usar o apoio frontal para provocar a pressão, ou fazer uma variação de flanco em diagonal (largura e profundidade) para criar desequilíbrio na estrutura adversária…Uma equipa que faça da circulação vertical o seu ponto forte (que utilize apenas a largura pontualmente para retirar pressão, para encontrar outros ângulos para atacar o corredor central, e para causar constrangimento à última linha do adversário), que saiba exactamente os efeitos da circulação vertical e esteja trabalhada para aproveitar os espaços que daí se criam será sempre a equipa contra a qual o adversário sentirá maior desgaste ”.
      Não se compreende como J.J. não conseguiu criar uma dinâmica semelhante no Sporting, acabando com aquele modelo repetitivo e enfadonho. Alguma verticalidade no jogo exige naturalmente bons pontas de lança a jogar de costas para a baliza (e existe um, Dost) um 2º avançado (um oito) muito à vontade a jogar entrelinhas (melhor que Alan, Podence tem conseguido alguma qualidade) e médios com visão e qualidade de passe para colocar neles a bola com rigor e garantir um apoio imediato (Adrian e sobretudo F. Geraldes tem grande qualidade nessas acções). Frente ao Boavista, depois da entrada de Geraldes, o Sporting desenhou no relvado dos melhores movimentos de futebol vertical de toda a época (ver vídeo do último quarto de hora do jogo “in Blogue Dominio Táctico”). J.J. não aproveitou a experiência. Que melhor altura da época para ensaiar com Geraldes um novo tipo de movimentos com muito mais eficácia? Os jogadores sabem que J.J, ficou muito aquém da competência que lhe era atribuída. A credibilidade do técnico e a sua competência perante os jogadores foi caindo mês após mês. E isso traduz-se sempre numa perda de confiança do colectivo. Quando estamos a jogar e vemos o nosso treinador substituir colegas por outros que, sabemos, nada vão acrescentar, somamos ao cansaço desânimo. Quando o nosso treinador no balneário escala a titulares colegas que sabemos nada de significativo irão produzir, entramos em campo menos optimistas. Tudo isto vai diminuindo a capacidade do colectivo e semeando a desconfiança no grupo e o descrédito relativamente ao nosso líder. Na primeira época havia o benefício da dúvida. Agora não há.

      Eliminar
  10. Cá estou eu de novo apesar das "previsões" de ontem!
    Sei e reconheço que a minha memória já não é a que terá sido pois também não me lembro do tempo em que tinha boa memória. Não me lembro de ter lido uma menção ao facto do Sporting ter fornecido 4 titulares à equipa que, milagrosamente, ganhou em França o último Europeu. Creio que esse cansaço extra tenha podido interferir na preparação da má época que termina. Mas nunca será com desculpas que se vai construir um futuro mais auspicioso. Lembro-me das dificuldades criadas por Adrien e que podem voltar a causar mossa para a época que se segue. Seja como for já joguei para o Euromilhões da próxima sexta com um prémio de 107 milhões. Se eu o ganhar tocarei só metade (a outra metade será da minha excelentíssima) mas prometo pagar uma indemnisação ao JJ para que nos deixe em paz. Sem juros nem propaganda. Mas não quero que se fale do Coentrão que, ao que consta aqui em Espanha, é da Gestitufe (?) e anda a fugir ao fisco tal como CR7, Messi, Mascherano e todos os outros. Tenho o hábito de cumprir com as minhas promessas e já fiz uma pequena dádiva à Fundação Sporting por não ter podido votar no BdC. Não estou arrependido. Seria bom que eu ganhasse o Euromilhões de todas as formas.

    SL

    ResponderEliminar
  11. Caro Aboim, claro que não podemos esquecer que fornecemos 4 jogadores à seleção é que 3 deles já tinham "levado" com o Jorge Jesus na época passada. Perdemos 2 jogadores importantes, mas penso que os substitutos estiveram à altura, senão a ultrapassaram-na mesmo. Portanto, pela perda de 2 jogadores não foi certamente a causa do grande descalabro. Mas, há um ponto que quero chamar à atenção: no ano passado apenas ganhamos a supertaça e foi logo no início da época, porque o resto foi BOLA, como diz o iluminado.
    Agora fazemos um pequeno exercício mental. Se a equipa base foi praticamente a mesma, se ainda contou com as "escolhas" do mister, se ainda ganhamos menos do que o ano anterior e jogamos ainda pior, de quem é a culpa? Para o resultado desta equação é o seguinte: o presidente têm 15% de culpa por ir na conversa do "cérebro" e falar demais; as arbitragens com muitas habilidades levam 10% e por fim o vencedor e rei do narcisismo Jorge Jesus com uns esmagadores 75%.
    Estas minhas conclusões não levam em conta a obrigatoriedade do Sporting ser campeão, mas unicamente revelam a minha opinião em relação à prestação desportiva nas suas componentes técnicas, táticas e artísticas.
    S.L.
    Leão da Estrela

    ResponderEliminar

PUBLICIDADE