segunda-feira, 26 de junho de 2017

O Sporting precisa de si!...



Ó doutor Varandas, Miguel de Cervantes já morreu há mais de cinco séculos! Nos tempos que correm fará pouco sentido lutar contra moinhos de vento! Tudo se sabe, mesmo que o burro venha a ser albardado à vontade do dono!...

O Sporting precisa de si!...

Leoninamente,
Até à próxima

Quando a coisa começar a sério, veremos!...


ENTRADA DE LEÃO

«O Sporting regressa ao trabalho 35 dias depois de se ter despedido da época 2016/17 com uma vitória frente ao Chaves, em Alvalade, num clima de ‘caldeirada’ anunciada, como receou e referiu Jorge Jesus no final desse jogo, pressentindo o pior no fecho de uma época que ficou muito aquém das expectativas.

Em cada época que arranca, renovam-se ambições e esperanças. No caso do Sporting, os adeptos têm confiado nesta ilusão anos a fio mas continuam sem conseguir matar uma fome de títulos de campeão que dura desde 2002. Mas se dúvidas havia em relação à dimensão da aposta para esta temporada, está visto que os leões reentram em cena com uma vontade sustentada num investimento assinalável. São, pois, óbvias as razões para os sportinguistas voltarem a acreditar de que este ano é que é.

O que disse Jesus na despedida da frustrante época 2016/17 marca o início desta, a avaliar pelo ataque ao mercado. Disse então o técnico que apesar de toda a qualidade que sai da Academia, só ela não chega para conquistar o título. Afirmou JJ: "Temos de arranjar jogadores como o Bas Dost e o Alan Ruiz para fazermos um plantel forte. O Sporting não está habituado a contratar jogadores de 10 milhões". Ora pelo que se vê, está a tomar-lhe o gosto. Lá mais para a frente, veremos se ganha o sabor dos títulos.»
(António Magalhães, Saída de Campo, in Record)


Tenho fundadas reservas sobre a afirmação de António Magalhães de que os adeptos sportinguistas terão óbvias razões para acreditar que este ano é que é! A estratégia adoptada por Jorge Jesus neste defeso e que Bruno de Carvalho parece ter voltado a subscrever,  muito pouco ou mesmo nada de diferente terá trazido em relação àquela esteve na origem do fracasso da temporada passada. Apenas os nomes dos jogadores contratados serão diferentes e sobra a terrível expectativa de sabermos até ao fecho do mercado o que acontecerá a algumas das nossas jóias da coroa!...

É ainda muito cedo para acreditar seja no que for!...

Quando a coisa começar a sério, veremos!...

Leoninamente,
Até à próxima

Sempre no pico da forma e com suprema eficácia!...


PORTUGAL NÃO PÁRA

«A Selecção Nacional está nas meias-finais da Taça das Confederações após golear a Nova Zelândia. Seguros, profissionais e cientes de que não podiam facilitar, os jogadores portugueses transformaram um adversário que causou enormes dificuldades ao México num farrapo. 

Entraram bem os menos utilizados, Fernando Santos tem o grupo na mão ao dar espaço a toda a gente, e não fosse a perda do mais importante elemento da defesa para o próximo jogo e o dia teria sido perfeito. Aqui falhou Pepe, com uma entrada pouco inteligente a dar-lhe o amarelo merecido, mas também o seleccionador. Não custava muito poupar quem estava em risco depois de garantido o resultado. Foi pena.

A polémica dos emails e quejandos continua muito activa. É óbvio que ninguém pode dizer que há corrupção ou sequer tráfico de influências. Isso fica para a Polícia Judiciária e Ministério Público. Mas confesso que me custa ver gente com dois dedos de testa a dizer que não há nada. Não só porque não sabem, mas porque eticamente, pelo menos nesse campo, já se leu demasiado para que a imagem do Benfica não esteja já danificada. É verdade que isso nos dias de hoje conta pouco. Mas é mais, bem mais do que nada. Espero que seja apenas cegueira clubística. Porque para desilusões já me bastava a cartilha.»
(Bernardo Ribeiro, Saída de Campo, in Record)


Este é o Bernardo Ribeiro que sempre apreciei. Como no futebol acontece com os jogadores, também os jornalistas terão momentos forma piores e melhores, mas eu desejaria que o Bernardo fosse como CR7...

Sempre no pico da forma e com suprema eficácia!...

Leoninamente,
Até à próxima

domingo, 25 de junho de 2017

Receio bem que não se trate apenas de uma premonição!...


ÓDIO PELO FUTEBOL E PELO RESTO

«O jornalista Nuno Martins, da equipa cá da casa, escreveu no sábado uma frase no Facebook que tem tanto de simples como de certeira: "No futebol português, deixou de haver rivalidade e passou a haver ódio".

Nos últimos anos do salazarismo, quando o regime apodrecia, os prosélitos do Estado Novo, na tentativa de ilibar o ditador, espalharam a ideia de que Salazar era um bom homem e que os males que então atormentavam os portugueses se ficavam a dever à gente que o rodeava – uma cambada de malandros que chamava a si as benesses e desacreditava o autocrata, que nem sonharia com as malfeitorias que em seu nome se levavam a cabo. Era uma treta com um fundo de verdade.

Acontece algo de semelhante no futebol português – o único negócio que nunca sente a crise da falta de clientes – que teve a desdita de se tornar ponto de confluência de dois interesses demasiado fortes para serem travados. De um lado, a pulverização da informação, que saltou das páginas dos jornais para as multiplataformas e tornou a comunicação um fenómeno complexo e quase incontrolável, o que obrigou os responsáveis por clubes e sociedades desportivas a rodearem-se de "assessores" para conseguirem dar conta do recado.

Do outro lado, um interesse igualmente poderoso, nascido dos tempos difíceis por que passam os média desde o início do milénio, particularmente a partir de 2005: uma imensa legião de desempregados que se espalhou por onde podia, procurando desesperadamente um meio de subsistência. Muitas dessas pessoas têm hoje profissões distantes, reformaram-se cedo ou vivem de biscates, mas os mais afoitos, espertos e bons vendedores de si próprios perceberam que encostar-se aos principais emblemas, fingir dedicação total e mostrar servilismo absoluto podia resultar em fonte de rendimento.

Trata-se de uma fauna que mente se tiver de mentir, e tem de fazê-lo muitas vezes, que insulta se tiver de insultar, e disso depende, que recorre a tudo para sobreviver, o que é da natureza humana. Uma fauna de semeadores de ódios, de cães de fila de quem paga e tem se manter na sombra, de pequenos títeres que serão esmagados mal deixem de servir o dono.

Os profissionais sérios dos aparelhos dos clubes são e continuarão a ser as maiores vítimas desta ausência de escrúpulos. Sim, e se os campeonatos forem suspensos como alguns diletantes exigem? Então, não haverá jogos, nem transmissões televisivas, o dinheiro parará de correr e a falência chegará. Lindo serviço. Permitimos que uma cáfila que odeia o futebol – e odeia tudo o resto – tomasse conta do negócio. E agora, faltando coragem para limpar os balneários e punir os delinquentes, opta-se por suspender o futebol. Que burros somos.»
(Alexandre Pais, Outra vez segunda-feira, in Record)


Quer-me parecer que Alexandre Pais terá pretendido, acima de tudo e de todas as considerações que faz, lançar um duro repto à "fauna que mente se tiver de mentir, e tem de fazê-lo muitas vezes, que insulta se tiver de insultar, e disso depende, que recorre a tudo para sobreviver, o que é da natureza humana, uma fauna de semeadores de ódios, de cães de fila de quem paga e tem de se manter na sombra, de pequenos títeres que serão esmagados mal deixem de servir o dono", constituída pelos que "mais afoitos, espertos e bons vendedores de si próprios perceberam que encostar-se aos principais emblemas, fingir dedicação total e mostrar servilismo absoluto podia resultar em fonte de rendimento."

Mas "bem prega frei tomás"! A fauna apenas se lembrará das suas palavras quando se vir obrigada a trocar a enxada pela picareta, quando lá em casa apenas restarem umas côdeas de pão bolorento, porque "esmagados" e deitados para o lixo, logo que deixarem de servir aos "donos"...

Receio bem que não se trate apenas de uma premonição!...

Leoninamente,
Até à próxima

E no fim vai tudo preso, pois não?!...




Procuradora no caso BES lidera investigação aos emails do Benfica

Andrea Marques é a responsável pelo inquérito do DIAP. Brigada da PJ é a mesma dos casos Pereira Cristóvão e Jogo Duplo. (LINK)

Podemos dormir descansados: o processo vai ser célere e a justiça será feita...  

E no fim vai tudo preso, pois não?!...

Leoninamente,
Até à próxima

sábado, 24 de junho de 2017

Quem sabe se também não recebem a "cartilha"?!...

Sporting Lisbona, vicino l'acquisto dell'argentino Acuña dal RacingSporting Lisbona, vicino l'acquisto dell'argentino Acuña dal Racing

24.06.2017 18:34 di Giacomo Iacobellis  

Lo Sporting Lisbona guarda in Argentina per rinforzare la propria rosa. Secondo quanto riporta A Bola, i Leoni biancoverdi sarebbero infatti molto vicini all'acquisto del centrocampista del Racing de Avellaneda Marcos Acuña. Il classe '91 in passato era stato accostato anche ad alcune squadre italiane.







Nesta local do site italiano TUTTOmercatoWEB.com hoje publicada, duas razões para que Leoninamente possa sorrir:

1 - Parece merecer algum crédito ao site, aquilo que por cá o jornal A Bola havia adiantado em relação ao interesse do Sporting no centrocampista argentino Marcos Acuña, o que dadas as boas referências que acompanham o jogador só poderá ser motivo de regozijo para os sportinguistas.

2 - Parece ter surtido efeito o recente raspanete que Leoninamente lhes pregámos, pela afronta que vinha representando a confusão entre o logotipo actual do Sporting e um mero emblema identificativo da "Curva Sul", tendo o site procedido à devida correcção. No entanto, talvez para não perderem a razão que lhes suporta o facto de continuarem a designar por Sporting Lisbona, o Sporting de Portugal, obliteraram pouco respeitosamente a palavra Portugal do logotipo utilizado, fazendo-o propositadamente descer até desaparecer no fundo. Típico de italianos. Se fosse por cá, não teríamos dúvidas sobre os seus afectos clubísticos. E mesmo assim...

Quem sabe se também não recebem a "cartilha"?!...

Leoninamente,
Até à próxima

Nem se há-de notar!...


NESTE MOMENTO NÃO HÁ CONDIÇÕES PARA HAVER CAMPEONATO

«Estamos a 47 dias do arranque do campeonato 2017-18 e não há qualquer sinal de que a FPF e/ou a Liga estejam a congeminar ou a preparar algum plano de contingência ou de emergência — como se queira chamar-lhe — para, como lhe compete, salvaguardar a integridade da competição, na sequência das denúncias que o Porto tem vindo a realizar sobre um alegado ‘modus operandi’ do Benfica, no sentido de gerar e potenciar supremacias (ilícitas, segundo a acusação) também fora das quatro linhas.

O ponto 16 dos compromissos desenhados pelo presidente da FPF, Fernando Gomes, e da sua Direcção, fala na "Defesa do bom nome das competições" e aponta para "reforçar a defesa dos valores essenciais (…): a imparcialidade e competência dos agentes de arbitragem e o bom nome e credibilidade das competições".

A credibilidade da competição foi e está posta em causa.

É fácil compreender que, face à gravidade daquilo que o Porto imputa ao Benfica, e sem se apurar a veracidade das acusações, não há condições para que a Liga 2017-18 se realize, com um mínimo de condições de salubridade.

Está tudo colocado em causa. As classificações, os observadores, os delegados, a Liga, a FPF. Todo o sistema de organização em que assenta o futebol nacional. O passado (e por isso perguntava, no artigo que escrevi há uma semana, há quantas épocas o campeonato português é uma farsa?!), o presente e, se não forem tomadas medidas urgentes e eficazes, o futuro.

O princípio da presunção da inocência é sagrado num Estado de Direito. Num caso como este, alicerçado em emails alegadamente trocados por pessoas directa ou indirectamente ligadas ao futebol, e que — a não haver truncagens ou descontextualizações — os compromete até ao tutano, não há, apesar das aparências, nenhuma razão para se ignorar ou relativizar esse princípio da presunção da inocência.

Esse princípio não pode, contudo, ser visto como uma parede de betão que inviabiliza a tomada de decisões. Não se pode ficar a olhar para todos estes indícios como se nada se estivesse a passar. As acusações são demasiadamente graves. Os acusados não podem passar entre os pingos da chuva se as imputações forem verdadeiras. Os acusadores também não, se se chegar à conclusão de que — como defende o Benfica — essas imputações correspondem a "informação falsa ou distorcida intencionalmente", negando qualquer tentativa de condicionamento "quer da arbitragem, quer dos órgãos da justiça desportiva".

O presidente da FPF, Fernando Gomes, que tem agora de gerir, nos próximos dias, as acusações de corrupção que se abateram sobre um dos seus vice-presidentes, Hermínio Loureiro, e que era o seu substituto em acções de representação institucional, tem responsabilidades acrescidas num processo que dinamita, interna e externamente, a credibilidade do futebol português, não podendo por isso deixar que se veja arrastado nesta enxurrada de suspeitas, acusações e lucubrações, mais ou menos sustentadas. Teve uma atitude positiva e consistente: contactar a Procuradoria Geral da República e a Direcção Nacional da PJ e disponibilizar-lhes todos os processos de nomeação, classificações e relatórios dos observadores dos árbitros, desde que entrou em funções (2011). É uma boa iniciativa no sentido de colaborar e poder acelerar a investigação.
Não há outra forma de olhar para este assunto sem confiar, minimamente, que a investigação se faça. E se faça, doa a quem doer, sem intenções previamente persecutórias ou previamente condenatórias, apenas com o objectivo de se apurar a verdade.

Contudo, coloca-se a seguinte questão: alguém acredita que, em mês e meio, haja conclusões sobre este processo? E, no verosímil cenário de não haver, como é que a Liga 2017-18 pode efectivamente arrancar, sem todos os anátemas que já se acham abatidos sobre ela, ainda por cima num quadro muito mais restritivo do ponto de vista do acesso directo à Champions?

Alguém acredita que os os ‘árbitros’ sinalizados nos emails revelados pelo Porto têm condições para dirigir algum jogo e, fundamentalmente, algum jogo em que participem o Porto e o Benfica?

Isto, o videoárbitro não resolve.

Esta questão dos árbitros (há pormenores da sua vida íntima?!!!) é particularmente relevante. Eles próprios não podem começar a época debaixo desta pressão/suspeição. E se for a classe a dizer "alto e pára o baile’, então é o Governo, a FPF e a Liga que ainda ficam piores na fotografia. Nas actuais condições, o campeonato não pode começar. Nunca os árbitros tiveram tantos motivos para impor uma limpeza (interna) e denunciar procedimentos, doa a quem doer. E tomar posição. Porque há certamente gente séria no sector e no futebol — e é essa gente que urge proteger.

JARDIM DAS ESTRELAS (1 estrela) - Papagaiada

Vivemos a fase em que os presidentes dos clubes perderam toda a sua autonomia, identidade e autenticidade e foram substituídos não apenas por direcções de comunicação mas também por marionetas de comunicação, produzidas por elas e colocadas na gaiola da papagaiada. Havia excessos, intervenções boas e más, mas eram eles que davam a cara, para o bem e para o mal. Agora é tudo parturejado, plastificado, artificializado, ainda por cima num tempo em que as redes sociais vieram aumentar a capacidade de mentir, desvirtuar, armadilhar. Há uma deriva única do futebol português no contexto europeu. O país campeão da Europa de futebol é o mesmo país que lutou tantos anos para ser campeão da Europa, sem o conseguir. O país que adora chafurdar na promiscuidade e no favor. Esta coisa muito tuga de, por exemplo, pedir bilhetes para a bola tem o seu preço. A APAF acha que não. Outros agentes acham que não. Mas tem. Ai tem, tem…

O CACTO - Porquê?!!!

Como é que se pode acreditar na solidez e na eficácia da ‘justiça desportiva’ quando o ‘caso do túnel’ (Sporting-Arouca), um caso que não tem nem nunca lhe foi reconhecido uma enorme complexidade, até pela existência de imagens que caíram na praça pública, não apresenta nenhuma decisão? Se o CD da FPF foi célere a despachar, qual a razão por que, passados quase 8 meses sobre o incidente, a Comissão de Instrutores ainda tem o processo ‘congelado’? Se um caso destes leva quase um ano a decidir, o que se pode esperar do desempenho da CI da Liga no "mailingate’? Não deveria ter notificado, imediatamente, sem perda de tempo, os principais protagonistas? Não deviam estar a ser ouvidos em sede de inquérito? Esta desfuncionalidade ajuda a matar o futebol português.»
(Rui Santos, Pressão Alta, in Record)

E o violento tornado do "apito escarlate" que se abateu sobre o "futebol tuga" continua, sem que ninguém, por dentro, pense em dar corda aos sapatos, e por fora entenda arriscar quaisquer prognósticos!...

Mas que a coisa está preta. Ai está, está! E quanto mais mexerem na merda, mais ela cheirará mal! Por causa do cheiro não alastrar tanto é que, se calhar, a PJ terá recomendado a Francisco J. Marques, para não apresentar publicamente mais provas no Porto Canal. Será por julgar suficientes as provas até agora recolhidas?! Nesse caso, em vez de estar preta, a coisa poderá mudar de cor e, por certo, se vier a fazer corar alguém...

Nem se há-de notar!...

Leoninamente,
Até à próxima

Para toda a passarada afectada, apenas o meu sorriso de desprezo!...


Nesta singela e despretensiosa savana que Leoninamente se orgulha de procurar ser, durante todo o tempo que nos separa do "primeiro dia" procurámos deixar sempre a porta entreaberta a todos aqueles que, embora procedentes de outros e diferentes "habitats", demonstrassem capacidade de ambientação e fossem capazes de manifestar o respeito que sempre entendemos a nossa franqueza merecer.

Lamentavelmente o nosso propósito não terá sido devidamente compreendido e, nos últimos tempos, vínhamos assistindo a inclassificáveis gestos provocatóriamente insultuosos, misturados aqui e além com inenarráveis ameaças, por parte de determinados e bem identificados "habitantes do planeta", que acabaram por exigir que fossem tomadas as medidas de "controle de fronteiras" que muito provavelmente o Acordo de Schengen se verá obrigado a adoptar, se a expansão do "terrorismo fundamentalista islâmico" vier a demonstrar essa necessidade. Todos os terrorismos merecem atenção deveras especial e drástico e contundente tratamentol...

A provar o acerto das medidas adoptadas, hoje o céu da savana de Leoninamente estará muito próximo de se assemelhar com o azul limpo e despoluído que a imagem acima documenta! Não mais a confusão e a balbúrdia ensurdecedora do chilreio da pardalada, o grasnar lúgrebe dos corvos e patos bravos ou a provocadora presença de abutres e urubus, prenúncio de morte para quem tanto ama a vida!...

Por vezes acontece "pagar o santo pelo pecador"! A todos os sportinguistas que de um modo ou outro a medida afectou, as minhas sinceras desculpas. Espero que aceitem o desafio de tentarem subir o degrau que os conduza à porta de Leoninamente: o anonimato nunca foi apanágio de leões!...

Para toda a passarada afectada, apenas o meu sorriso de desprezo!...

Leoninamente,
Até à próxima

Depois de ver um porco andar de bicicleta...



NOME: Marcos Javier Acuña
NASCIMENTO:  1991-10-28(25 ANOS)
PAÍS DE NASCIMENTO:  Argentina
NACIONALIDADE:  Argentina
NATURALIDADE:    Zapala
INTERNACIONALIZAÇÕES A:  4 Jogos / 0 Golos
PÉ PREFERENCIAL: Esquerdo
ALTURA/PESO: 172 cm/72kgs
POSIÇÃO: Médio (Médio Centro) / Médio (Médio Esquerdo)
CLUBE ACTUAL:  Racing Clube de Avellaneda


Segundo avançou o jornal Record há pouco mais de duas horas, citando o canal de televisão argentino Todo Noticias, o Sporting terá assegurado a contratação de Marcus Acuña. Ainda de acordo com as notícias vindas da Argentina, o clube de Alvalade ter-se-à disponibilizado para pagar a cláusula de rescisão do médio esquerdino, que ascenderá a um valor de 8 milhões de euros, sendo que o valor actual de mercado rondará os 7 milhões.  (LINK)

O internacional argentino integrará uma lista de futebolistas indicados pelo treinador Jorge Jesus e será como que uma alternativa ao seu compatriota Gonzalo Martínez (River Plate), que implicava um investimento incomparavelmente mais avultado.




Não será o tipo de negócio a que estamos habituados a ver o Sporting fazer, pelo que serão mais do que naturais todas as nossas reservas.

Mas, depois de ver um porco andar de bicicleta...

Leoninamente,
Até à próxima

Forrobodó!!!...



Portugal espera e deseja que o "forrobodó" não contamine a Justiça!...

Leoninamente,
Até à próxima

PUBLICIDADE