sexta-feira, 24 de novembro de 2017

Rui Santos continua a fazer um excelente campeonato!...


RUI VITÓRIA NO PINO DA CONFUSÃO

«É sempre assim. Todos os treinadores têm os seus ciclos. Uns mais duradouramente vitoriosos e outros menos. Depende de muitos factores.

De que dependem os treinadores? Dependem da capacidade económico-financeira dos clubes para os quais trabalham. Dependem da qualidade dos jogadores. Dependem da natureza da intervenção dos presidentes e dirigentes que os rodeiam e os (não) suportam. Dependem das organizações que os (não) sustentam. E dependem, naturalmente, de si próprios: da capacidade de liderança (ou seja, da perícia de fazer acontecer), das decisões que tomam, da forma como comunicam e daquilo que é a sua apetência para perceberem o mundo global do futebol, independentemente dos seus conhecimentos na área técnico-desportiva.

Rui Vitória atravessa a sua fase mais difícil desde que chegou à Luz – e tudo porque não começou bem a época, sendo neste momento o último dos três ‘grandes’ no campeonato e a protagonizar uma situação impensável no momento do sorteio para a presente edição da Champions, correspondente a zero pontos na fase de grupos, com 5 dos 6 jogos realizados. Impensável, mesmo!

Bem se sabe que Rui Vitória entrou na Luz para corporizar a antítese de Jorge Jesus. Talvez não fosse esse o espírito de Rui Vitória, conhecido por ser um homem de ‘bons fígados’, mas sabe muito bem que muitos apostavam nele para ser uma espécie de treinador profano, assim a modos de um anti-Jesus.

Todavia, estavam na Luz seis anos de dinâmicas, rotinas, metodologias, relações e hábitos. E Rui Vitória, naturalmente, numa primeira fase, teve muitas dificuldades em montar o seu próprio sistema. Não estamos apenas a falar de sistema táctico. Estamos a falar de um ‘padrão Vitória’. De um Benfica ‘à Vitória’. O Benfica foi campeão e bicampeão com ele, mas em nenhum momento ficou indiscutível aos olhos de toda a gente, nem interna nem externamente, a imposição da impressão digital do treinador. Ficou acima de tudo a imagem de um gestor. Um gestor de equilíbrios e sensibilidades e o gestor técnico-desportivo de um projecto que Vieira e a sua Administração queriam impor no Benfica: com a ‘componente Seixal’ a liderar no critério de escolha dos jogadores.

Rui Vitória foi, pois, desde que chegou à Luz, um treinador condicionado. A dimensão da oportunidade sobrepôs-se a todas as condicionantes e Rui Vitória sabia ao que ia e não tinha de se queixar. Aceitou correr os riscos e a verdade é que, neste momento, na óptica pessoal, ninguém pode dizer que se tratou de uma opção errada. Contudo, no começo da sua terceira época na Luz houve coisas que Rui Vitória não soube nem podia controlar, porque fora esse, aliás, o pacto que havia assinado com o presidente e a Administração: não é, no limite, Luís Filipe Vieira que faz a equipa, mas é ele que condiciona as escolhas da equipa, se é que me faço entender. E nunca tinha sido assim, como se sabe, nos últimos 8 anos…

Os dois títulos de campeão nacional conquistados com Rui Vitória adensaram junto do presidente e da Administração a convicção de que a hegemonia do Benfica estava reconquistada e controlada. Sob o comando do presidente e da Administração, num novo modelo em que o treinador era apenas uma peça secundária de todo o modus operandi do Benfica. E foi assim que se cometeram erros inacreditáveis para quem se gaba de ter uma estrutura operativa, competente e superprofissional.

O plantel do Benfica é hoje uma manta de retalhos, a partir da não resolução do problema que constituiu a saída de Ederson, Nélson Semedo, Lindelöf e Mitroglou, fundamentalmente. O Benfica tem andado, esta época, a correr debaixo do peso desse enorme equívoco. E a correr pouco, como se viu em Moscovo. Os jogadores estão sem confiança e é preciso dizer que, em cima do erro colossal da Administração (provavelmente mais preocupada e desconcentrada em função da dimensão que ganhou o ‘caso dos emails’), Rui Vitória tem feito muito para roubar a confiança dos jogadores (a partir do caso dos guarda-redes). Alternância de sistema táctico, um corrupio de jogadores a entrar e a sair, tudo o que – é dos livros – condiciona o rendimento dos jogadores. Ou se tem uma atitude de alguma exigência ou pressão sobre a equipa (e, para isso, ela tem de acreditar naquilo que se faz…), como acontece com Sérgio Conceição no FC Porto e com Jorge Jesus, no Sporting, ou é meio caminho para o desastre.

Não é estranho que não haja um jogador do plantel do Benfica que esteja no top das suas capacidades? Rui Vitória atingiu o pino da confusão e da indefinição. O buraco na Champions é maior e irreparável porque, cá em casa, é como se sabe. Tudo um pouco mais brando. Menos no Dragão. E é no Dragão que o Benfica vai… ‘viver ou morrer’.

JARDIM DAS ESTRELAS -- 4 estrelas

Contrariando o desastre

O treinador Jorge Jesus e a equipa de futebol são a última esperança do Sporting, esta época. Com uma comunicação desenfreada, sem rei nem roque, e agora já sem a ‘protecção’ de Octávio Machado, Jorge Jesus e os jogadores estão cada vez mais entregues a si próprios e à capacidade de blindar o balneário a interferências desestabilizadoras. Não é fácil, mas já se pode dizer, incluindo o desempenho frente ao Olympiakos, que a equipa deu uma excelente resposta na Champions. O ‘milagre’ maior que Jesus tem de fazer é conseguir resultados desportivos com o presidente a marcar tantos golos na própria baliza — um fenómeno desastroso de ‘comunicação’.
Destaque, também, para o Sp. Braga: grande maturidade no jogo com o Hoffenheim (que tudo fez para vencer!) e um belo desempenho na Liga Europa. Chapeau!

O CACTO -- Quem quer a cabeça de Fontelas?

Esta estória em redor da paralisação dos árbitros, das condições que têm ou não têm para arbitrar debaixo deste clima insustentável de suspeição, esconde a questão essencial: todos querem controlar o presidente do Conselho de Arbitragem. Tê-lo na mão. Dirigir as nomeações, nem que seja por mera sugestão. É uma função difícil, porque há muitos interesses em jogo e os clubes — já se viu — têm as suas preferências. Os árbitros estão ‘marcados’. Uns querem tê-los; outros não querem. Começou cedo a tentativa de decapitação, neste caso de Fontelas Gomes. Com os ataques ao VAR. Com a forma como se tem pretendido influenciar os árbitros neste processo de pré-paralisação, até com SMS de ex-árbitros… Foi exactamente por isto que sempre defendi que um ex-árbitro nunca poderia ser presidente da Liga.»


Rui Santos continua a fazer um excelente campeonato!...

Leoninamente,
Até à próxima

Estou em crer que será Conceição a despedir o "derrotas"!...



O último suspiro foi de alívio

Percebe-se no discurso de Rui Vitória, após o jogo com o CSKA, o alívio por ter visto a questão europeia resolvida

«É impossível não ouvir o discurso de Rui Vitória no final do jogo com o CSKA sem escutar nas entrelinhas um sonoro suspiro de alívio, especialmente em passagens como "há vida para além da Liga dos Campeões" ou "agora, queremos ganhar as competições internas". Percebe-se porquê. Dos sete pontos cedidos pelos encarnados no campeonato até agora, cinco ficaram pelo caminho nas duas jornadas disputadas imediatamente a seguir aos dois primeiros jogos da Champions: as derrotas na Luz, contra CSKA, e na Suíça, frente ao Basileia, por sinal as duas equipas mais acessíveis do grupo. Rui Vitória terá decidido logo aí que não voltaria a deixar a Liga dos Campeões atrapalhar o campeonato, o que justifica não só as poupanças que fez nos dois jogos frente ao Manchester United, mas também a naturalidade com que aceitou a derrota definitiva, com o CSKA. O Benfica está curto, o treinador sabe disso, e quanto mais cedo conseguir concentrar-se na frente interna, mais possibilidades terá de recuperar a desvantagem para os rivais que têm a Europa na agenda pelo menos até Fevereiro. De resto, a mensagem já chegou aos adeptos, como se percebe pela ausência de qualquer sinal de contestação na chegada da equipa a Lisboa. Já houve um tempo em que, por menos do que cinco derrotas e outras tantas exibições embaraçosas, teria caído o Carmo e a Trindade. Claro que este também pode ser aquele silêncio que antecipa a trovoada. Os benquistas estão de respiração suspensa, pelo menos até ao clássico com o Porto. Se o jogo do Dragão correr mal aos encarnados, é provável que até os adeptos mais pacientes se cansem de esperar pela retoma prometida pelo treinador.»
(Jorge Maia, Opinião, in O Jogo)

Claro que o "derrotas" está preso por arames! Até o bronco do presidente do Benfica já percebeu que dali, para além de nem com um milagre poder algum dia aspirar que o penta suceda ao tetra, a única coisa que poderá esperar será treta!...

Enquanto a caldeira foi funcionando com o carvão que Jorge Jesus deixou na fornalha, com mais ou menos "empurrões", "colinhos", "padres", "diáconos", "apitos escarlates, rosas, vermelhos ou marrons" e o "polvo encarnado" pôde deslocar-se a seu bel-prazer, tranquila e pacificamente no pântano, ao "derrotas" tudo foi permitido, até perceber menos de futebol que uma infinidade de humildes técnicos do Campeonato de Portugal...

Porém logo que o carvão acabou e a caldeira apagou e foi necessário reacendê-la de modo a satisfazer as necessidades que a sobranceria e a proverbial jactância escarlates, mais do que reclamarem, exigem e impõem sem olhar a meios, a porca começou a torcer o rabo!...

Claro que este silêncio de agora poderá muito bem ser o prenúncio que costuma antecipar a trovoada e, cá para mim...

Estou em crer que será Conceição a despedir o "derrotas"!...

Leoninamente,
Até à próxima

Concordo com o "pintinho", carago!...



Por uma única vez na minha vida, concordo com o "pintinho", carago!...

Leoninamente,
Até à próxima

Uma pena não terem sido postos bilhetes à venda!...




Avança nesta sexta-feira a Sábado, que segundo o que uma fonte da própria Procuradoria-Geral da República lhe terá adiantado, o Departamento de Investigação e Acção Penal de Lisboa terá aberto um inquérito-crime a Horácio Piriquito, podendo estar em causa um crime de violação de segredo de funcionário, uma vez que os membros dos órgãos sociais da FPF, devido ao estatuto de utilidade pública, estarão equiparados a funcionários para efeitos penais.

Muito curioso e engraçado este singular  e atractivo "concerto": o "piriquito canta", armada de sax a "morsa acompanha" - ou foca ou leão marinho, credo abrenúncio! - e... só o DIAP terá direito a tão estimulante e quase etérea audição!...

Uma pena não terem sido postos bilhetes à venda!...

Leoninamente,
Até á próxima

Não precisa nem adianta chorar!...


Sporting lidera portugueses e Benfica no fundo: os milhões de cada equipa na Champions

Paris S. Germain (26,2 milhões de euros) - 5 jogos - 15 pontos

Manchester City (26,2 milhões) - 5 jogos - 12 pontos
Tottenham (25,2 milhões) - 5 jogos - 13 pontos
Bayern (24,7 milhões) - 5 jogos - 12 pontos
Barcelona (24,2 milhões) - 5 jogos - 11 pontos
Besiktas (24,2 milhões) - 5 jogos - 11 pontos
Chelsea (23,7 milhões) - 5 jogos - 10 pontos
Real Madrid (23,7 milhões) - 5 jogos - 10 pontos
CSKA Moscovo (19,2 milhões) - 5 jogos - 9 pontos
Liverpool (19,2 milhões) - 5 jogos - 9 pontos
Sevilha (18,7 milhões) - 5 jogos - 8 pontos
Sporting (18,2 milhões) - 5 jogos 7 pontos
Chelsea (17,7 milhões) - 5 jogos - 10 pontos
Nápoles (17,7 milhões) - 5 jogos - 6 pontos
Basileia (17,2 milhões) - 5 jogos - 9 pontos
Shakhtar (17,2 milhões) - 5 jogos - 9 pontos
Roma (16,7 milhões) - 5 jogos - 8 pontos
Juventus (16,7 milhões) - 5 jogos - 8 pontos
Porto (16,2 milhões) - 5 jogos - 7 pontos
Celtic (16,2 milhões) - 5 jogos - 3 pontos
Leipzig (16,2 milhões de euros) - 5 jogos - 7 pontos
Atlético Madrid (15,7 milhões) - 5 jogos - 6 pontos
Spartak Moscovo (15,7 milhões) - 5 jogos - 6 pontos
Maribor (15,7 milhões) - 5 jogos - 2 pontosQarabag (15,7 milhões) - 5 jogos - 2 pontos
APOEL (15,7 milhões) - 5 jogos - 2 pontos
Olympiacos (15,2 milhões) - 5 jogos - 1 ponto
Mónaco (13,7 milhões) - 5 jogos - 2 pontos
Dortmund (13,7 milhões) 
- 5 jogos - 2 pontos
Feyenoord (12,7 milhões) - 5 jogos - 0 pontos
Anderlecht (12,7 milhões) - 5 jogos - 0 pontos 
Benfica (12,7 milhões) - 5 jogos - 0 pontos 

Não precisa nem adianta chorar!...

Leoninamente,
Até à próxima

O Sporting é na realidade diferente!...



Até agora vice-presidente do Conselho Fiscal do Sporting, Óscar Figueiredo, acaba de renunciar ao mandato para que foi eleito, através de uma carta enviada ao presidente da assembleia geral, dando como justificação o facto de ter apresentado a sua candidatura em lista única à Ordem dos Revisores Oficiais de Contas. No entendimento do ex-dirigente sportinguista haveria uma incompatibilidade entre as funções em Alvalade e na ordem, preferindo portanto deixar com efeito imediato o seu cargo no clube leonino.

 
Para o futuro bastonário, ética e responsabilidade foram, são e sempre serão valores incontornáveis...

O Sporting é na realidade diferente!...

Leoninamente,
Até à próxima

Cada vez há menos tolos!...



O que nos vale é que, segundo o director de comunicação do Porto...

Cada vez há menos tolos!...

Leoninamente,
Até à próxima

quinta-feira, 23 de novembro de 2017

O que os lampiões acabaram por levar para casa!...


O que os benfas estavam à espera de assistir hoje na SPORTING TV...



O que os lampiões acabaram por ter de levar para casa!...

Leoninamente,
Até à próxima

No próximo sábado o João Rocha vai rebentar pelas costuras!...



Segunda vitória dá primeiro lugar e Final Four aos leões


Segundo jogo, segunda vitória. O Sporting acaba de derrotar há minutos o Nacional Zagreb por 3-1 e garantir, logo ao segundo jogo, a passagem para a Final Four da UEFA Futsal Cup.

Os leões entraram mais fortes e logo aos 14 minutos inauguraram o marcador, por Fortino, mas o segundo golo apenas chegou já na segunda parte, por Varela. Os croatas ainda reduziram para 2-1, a dois minutos do final da partida, mas Pedro Cary matou o jogo a 40 segundos do apito final.

O Sporting segue isolado no topo da tabela com seis pontos, enquanto o Nacional e o Halle-Gooik dividem o segundo lugar, com três. Como os leões já bateram estas duas equipas, superioriza-se no confronto directo em caso de empate, pelo que com o resultado de hoje ficou automaticamente apurado. Em último lugar segue o Dínamo Moscovo - o próximo adversário do Sporting - com duas derrotas e zero pontos.

No próximo sábado o João Rocha vai rebentar pelas costuras!...

Leoninamente,
Até à próxima

Bas Dost é definitivamente um homem feliz de leão ao peito!...

Viram-se gregos para travar o "trovão"!...

«Está a viver uma fase fantástica, como demonstram os 8 golos nos últimos 6 jogos. Mas, neste, o holandês revelou-se mais do que um ‘mero’ matador. Letal após o desequilíbrio criado por Piccini e Gelson e a definir bem no canto de Bruno Fernandes, foi praticamente perfeito a jogar de costas para defesa, ora criando espaços ora a mostrar critério no passe, como no lance com Bruno Fernandes (13’). Teve o toque de Midas na vitória.» (LINK)



Muito provavelmente terão sido a sua extraordinária compleição atlética e a imponente presença nas áreas adversárias a determinar a sua contratação. Mas quem tem estado atento à sua evolução técnico-táctica durante toda a época passada e, muito particularmente no tempo que a presente já leva de decorrida, terá de reconhecer que o "verdadeiro toque de Midas" que estará a transformar este possante avançado holandês num verdadeiro terror para as defesas adversárias, dará pelo nome de Jorge Jesus.

No mais pequeno pormenor, os pés que chegaram a Alvalade para serem apelidados de "tijolos", têm vindo a transformar-se, como que por milagre, em surpreendentes "pés de veludo com mel na biqueira das botas"! E os seus ares e movimentos rudes  e desengonçados, começam a surgir aos olhos dos adeptos recheado de nuances de uma inimaginável "souplesse". 

Mas o pormenor mais extraordinário e contagiante que tem vindo a impressionar e a galvanizar os adeptos sportinguistas, será a alegria que cada dos seus gestos, olhares ou celebrações conseguem emitir para as bancadas de Alvalade! "Bas Gost é disso"!...

Bas Dost é definitivamente um homem feliz de leão ao peito!...

Leoninamente,
Até à próxima  

PUBLICIDADE