sexta-feira, 26 de maio de 2017

Nunca compreenderei como pode alguém negociar a dignidade!...


DECISÕES SEM RISCO

«Lisboa é hoje uma das capitais da moda, um destino apetecível, sobretudo nesta altura em que muitos países vivem num clima de terror do qual felizmente temos sido poupados - rezemos para que assim continue. Desde 1967 que Lisboa é referência obrigatória no roteiro dos adeptos do Celtic que aqui conquistou a Taça dos Campeões. Ontem voltaram para comemorar o cinquentenário, enchendo de alegria as ruas da cidade e invadindo o Jamor, local de culto para os ‘católicos’ com autorização para o visitar numa decisão que se saúda da FPF.

Rui Vitória colocou reservas quanto à estreia oficial do vídeo árbitro (VAR) na final da Taça. Creio que esse risco é tão maior ou menor quanto o da sua aplicação na 1ª jornada do campeonato da próxima época. Mais: até será menor no Jamor, uma vez que estarão reunidas condições de avaliação rigorosamente equivalentes para os dois participantes. Daquilo que se sabe, haverá o cuidado de introduzir mais câmaras em determinados campos para melhorar a análise do VAR, mas dificilmente serão em número igual ao que terão os jogos televisionados dos grandes. Convinha, pois, que em vez da dúvida manifestássemos confiança num sistema que deve ser um instrumento de auxílio à arbitragem. 

Fernando Santos não convocou Éder nem Renato Sanches para o novo ciclo da Selecção. Por um lado, a decisão surpreende; por outro, não. Sim, porque os dois jogadores integraram as convocatórias de todos os jogos que se seguiram ao Europeu; não, porque há nesta altura quem ofereça mais garantias, atendendo às vagas disponíveis. Acresce que ser campeão europeu não pode dar direito a ter lugar vitalício na Selecção. Ademais, Renato vai ser muito útil a Rui Jorge. E fica a promessa: da minha parte, será ‘tratado’ como um sub-21.»
(António Magalhães, Entrada em Campo, in Record)


Decididamente, ao contrário do que me é habitual, apreciei esta crónica do director do jornal Record, sempre mui cuidadoso em evitar polémicas, para não lhes chamar confrontos, com tudo o que directa ou indirectamente possa estar ligado ao "poder escarlate", mesmo que a este eventualmente assista "razão zero"! Claro que uma andorinha não faz a Primavera e não ficarei admirado se dentro de pouco tempo me vir obrigado a desembainhar a espada que com ele uso com a frequência que nunca desejei, por motivos que entendo deverem ficar só para mim, mas que ele facilmente terá compreendido há muito tempo.

Vem isto a propósito de António Magalhães ter sido, com esta crónica, o primeiro director de jornal desportivo e, já agora, o primeiro jornalista a, sem lhe chamar sonso como eu não tive problemas em fazer, afirmar publicamente com preto no branco, que Rui Vitória, atirando pedras ao vídeo árbitro (VAR), se terá esquecido, com a jactância que parece já ter assimilado lá pela Luz e pelo Seixal, de... esconder a mão, o que certamente já lhe terá custado ouvir das boas, tanto do Janela, quanto do Bernardo, quiçá até do "patrão-mor"! Porque chamar nojentas às suas afirmações será quase uma elogio. Sonso é o que ele é, e não o digo de hoje! A mim nunca me enganou, e espero ter saúde e vida para apreciar muito mais "casas" construídas por ele. Acreditem que não me custaria nada desenhar um sorriso, se Pedro Martins usasse na mentalização da sua gente a "atoarda" do Vitória, do mesmo modo que este afirmou ter usado as atoardas de JJ. Seria provar do seu próprio veneno e talvez o fizesse baixar a garupa, demasiado alta para o meu gosto! E tão depressa, santos deuses! E ainda dizem que não é sonso!... 

Para acabar de atar o bonito "ramo de flores" que constitui a sua crónica de hoje, só faltava a Magalhães colocar o "trancinhas" no seu devido lugar, depois de Rui Jorge ter dito, e bem, o que disse!...

Caramba, a dignidade é um bem tão preciso que... 

Nunca compreenderei como pode alguém negociá-la!...

Leoninamente,
Até à próxima

Quem não aprecia o bom jornalismo?!...


O PROJECTO DO SPORTING

«Começou a contagem decrescente para a inauguração do Pavilhão João Rocha, a 21 de Junho, e aos poucos começam a ser conhecidos os contornos do projecto do Sporting para o próximo ano para as modalidades. A principal novidade é o regresso do voleibol, viabilizado por uma figura carismática como Miguel Maia, que arrasta o actual seleccionador nacional Hugo Silva para uma missão: destronar o Benfica e marcar a diferença para o Sp. Espinho e Fonte do Bastardo. Se o Sporting tiver uma equipa competitiva, tudo será diferente para bem do voleibol. É preciso fazer uma aposta forte e, como se sabe, qualquer mau resultado é visto com outros olhos, um pouco à semelhança do que se tem passado no ciclismo, onde os leões têm dificuldade em aproximar-se da alta voltagem dos corredores do Porto. Até agora não tem tido grandes sucessos desportivos nas duas rodas.

O hóquei em patins e o andebol vão coabitar no Pavilhão João Rocha. Será através destas duas modalidades que o Sporting se pode afirmar a nível nacional e internacional. Nos últimos dois anos, a direcção investiu muito dinheiro e apesar da conquista da Taça CERS em 2015, a verdade é que isso soube a pouco para um plantel cheio de vedetas. Fica a expectativa – não o benefício da dúvida – para a época 2017/2018. No andebol, tudo está ainda em aberto e há boas razões para acreditar que o Sporting possa conquistar amanhã a Taça Challenge, na Roménia, e o campeonato na próxima quarta-feira. Não será o andebol a salvar as críticas feitas pelo presidente Bruno de Carvalho e que levaram Vicente Moura a pensar mais na sua saúde. Mas o antigo líder do COP ainda teve saúde para festejar no atletismo o título de campeão europeu feminino em pista, em 2016, e três campeonatos nacionais no futsal.»
(Norberto Santos, Primeira Barreira, in Record)

Quem não aprecia o bom jornalismo?!...

Leoninamente,
Até à próxima

quinta-feira, 25 de maio de 2017

A consciência cria a realidade!...



A ambos a consciência aponta o dedo, embora "nenhum padeiro amasse para fazer ruim pão"!...



Aconteceu? Sim, aconteceu. E doeu. Muito. Demasiado. A eles e a nós! E agora? Agora é hora de obedecer à consciência. Tanto um, quanto o outro! Cada um terá de deixar lá atrás o pão que amassou e que acabou por deixar que se tingisse de sangue em vez de suor e buscar no horizonte cores mais nobres. As cores da recompensa e da esperança...

Agora #NãoHáDesculpas! Agora é hora de ouvir a consciência! Apenas porque...




Leoninamente,
Até à próxima

Uma séria e profunda reflexão!...


CHUVA DE HUMILDADE

«A gala do Sporting deveria acontecer no dia 1 de Julho, data do aniversário do clube. Foi assim nas edições anteriores. Por compromissos familiares e pessoais do presidente, que respeito e saúdo mas que não estão incluídos no calendário da instituição, o acontecimento foi agendado para a véspera. Este pequeno gesto, com efeitos apenas simbólicos, é revelador de uma confusão entre o cargo e a pessoa. Uma confusão que tem de ser rapidamente esclarecida. Bruno de Carvalho fez muito pelo Sporting mas nunca se deve esquecer que o clube o precede e o transcende. Não, ele não é Pinto da Costa. Por três razões: porque os tempos de glória do Sporting são anteriores à sua presidência, porque infelizmente ainda não conquistou nada do que foi conquistado pelo presidente portista e porque, ao contrário de outros, os sportinguistas são pouco dados a seguir caudilhos. 

Foi o mesmíssimo Pinto da Costa que deixou Bruno de Carvalho numa situação ainda mais delicada ao afastar Nuno Espírito Santo. Fica-se com a ideia de que o Porto é mais exigente com alguém a quem paga muito menos do que o Sporting. A falta de exigência com Jesus foi, aliás, sublinhada pelo próprio presidente, que reafirmava a confiança num treinador pago a peso de ouro e com resultados medíocres no mesmíssimo momento em que desancava nos atletas das modalidades pelos seus maus resultados e nos adeptos que os apoiam pela sua benevolência. Levando, com esta absurda injustiça, à demissão do vice-presidente Vicente Moura.

Não há treinadores ou presidente insubstituíves. Há resultados. E este fim de época sublinhou que anda a fazer falta uma chuva de humildade e realismo em Alvalade. Se não nas decisões fundamentais, pelo menos nos gestos simbólicos e nas palavras.»
(Daniel Oliveira, Verde na bola, in Record)

Daniel Oliveira é intocável! Porque insuspeito. Porque expressou corajosa e publicamente o seu apoio a Bruno de Carvalho nas últimas eleições. Porque cidadão impoluto e politicamente esclarecido, nunca pactuou com nenhuma situação em que o céu fosse menos azul, menos límpido, menos transparente. Porque a natureza o privilegiou com a inteligência necessária para ser digno do seu berço e saber beber a singular educação e cultura que acompanharam o seu trajecto de homem de bem, livre e progressista!...

Por tudo o que é e transporta consigo, Daniel Oliveira é um cidadão sportinguista livre, intocável e insuspeito...

É por isso que as suas palavras merecem de TODOS os sportinguistas... 

Uma séria e profunda reflexão!...

Leoninamente,
Até à próxima

Eventualmente uma boa contratação!...


Os próximos dias hão-de esclarecer-nos sobre se esta notícia do jornal A Bola (LINK) significará o interesse verdadeiro do Sporting ou se não se tratará de mais uma das muitas "pazadas de carvão" a que o Serpa já nos habituou, para ir conseguindo manter a sua nau à tona da água!...

Que o argentino tem mostrado ao longo dos quase quatro anos que leva no futebol português, atributos para gerar o interesse que agora o Sporting, aparentemente, estará em vias de corporizar, parece-me evidente...



Segundo a avaliação do site Transfermarkt, o passe deste médio centro dextro argentino estará fixado actualmente em 1,5 M€uros, nada que se revele capaz de impedir que o acordo entre clubes não se possa vir a materializar.

Não me custa absolutamente nada reconhecer que, atendendo aos atributos técnicos, ao porte atlético (1,87/82 kgs) e juventude do jogador (25 anos), Rodrigo Bataglia poderia ser...

Eventualmente uma boa contratação!...

Leoninamente,
Até à próxima

Sem necessidade de dar água a pintaínhos no Inverno!...




FERNANDO SANTOS DEIXA RENATO SANCHES E ÉDER DE FORA

O celebrado, justo e merecido título europeu parece ter trazido ao nosso seleccionador, razões suficientes para prosseguir o seu caminho consoante lhe impõem a sua consciência, a sua inteligência, o seu saber e a sua verticalidade, finalmente liberto de todas as amarras, compromissos e pressões!...

Agora Fernando Santos será um seleccionador feliz e livre...

Sem necessidade de dar água a pintaínhos no Inverno!... 

Leoninamente,
Até à próxima

É preciso que a bota bata com a perdigota!...


Num muito oportuno e excelente trabalho de Mestre de Cerimónias no blog leonino "O ARTISTA DO DIA", que recomendo vivamente, eis o "caminho do precipício" que qualquer dos três grandes parece continuar a percorrer como se não houvesse amanhã!... 

Com o mal de outros eu durmo bem! Mas cá na nossa casa...

É preciso que a bota bata com a perdigota!...

Leoninamente,
Até à próxima

O caminho mais curto para o inêxito será admiti-lo como possível!...


Jorge Jesus 

«... O treinador do Sporting encerrou a época com um lúcido balanço do que tinha sucedido e, mais relevante, com a tónica renovada de que só "a Academia não chega para ganhar títulos". Não creio, mesmo podendo haver uma nuance no discurso, que haja uma visão distinta entre Jesus e Bruno de Carvalho neste ponto. No tempo que aí vem, o Sporting tem, no entanto, que enquadrar, dar espaço e potenciar o melhor da sua formação – como Podence, F. Geraldes ou Iuri Medeiros – e só pode (sublinho só pode) comprar cirurgicamente, mesmo cometendo um ou outro erro de avaliação. Ora, é aqui que a situação se pode complicar. A tentação para a asneira será grande. Há todo um histórico...»
(Nuno Santos, Ângulo Inverso, in Record)

Concordo a cem por cento com Nuno Santos, a quem envio um abraço de solidariedade pela saudade e amargura que me pareceram bailar nas palavras desta sua crónica, de que apenas extraí o excerto que publico, pelo facto simples de que outras matérias abordadas pouco ou nada me interessam e julgar que aos sportinguistas que por aqui passam também não. E a minha leonina solidariedade para com NS resulta da certeza de que, no seu caso pessoal, a saudade e a amargura só viverão enquanto a razão e o regresso não forem uma realidade e, não tenho dúvidas de que tal acabará por acontecer: os "ensaios sobre a cegueira" não serão eternos!...

Comungo por isso da sua preocupação de que no Sporting actual, "a tentação para a asneira será grande, há todo um histórico...". Ainda durante o dia de ontem e hoje também, agora que foi posto termo e bem,  à inclassificável actividade "facebuquiana, todos os jornais desportivos fizeram eco de uma putativa decisão de Bruno de Carvalho, caso a época leonina não se salde pelo êxito que todos os sportinguistas desejam. Obviamente que os sportinguistas mais atentos estarão prenhes de saber qual a fonte onde terá nascido esse rio. E o histórico é realmente tramado: que ninguém duvide e muito menos o próprio, voltámos a assistir a mais uma rajada de tiros nos próprios pés! Chiça, começa a ser patológico!...

Plantar uma atoarda dessas no "facebook" ou insinuar-se, qual prostituta à beira da estrada, perante potenciais veículos, serão dois processos "criminosos" de índole absolutamente igual! E se houve maturidade e coragem para acabar com o primeiro, resulta descoroçoante a puerilidade do recurso ao segundo!...

O caminho mais curto para o inêxito será admiti-lo como possível!...

Leoninamente,
Até à próxima

quarta-feira, 24 de maio de 2017

Este é o Sporting que eu amo!...


#NãoHáDesculpas terá sido o lema usado pela equipa Sub19 de Futebol Feminino do Sporting Clube de Portugal, nascido do génio e do exemplo da Capitã Francisca Silva, que ameaça tornar-se viral e vir a transformar-se numa divisa transversal a toda formação leonina ou mesmo arrastar consigo todas as modalidades e escalões do fantástico Universo Sporting, toda a Grande e Gloriosa Nação Sportinguista, depois da fabulosa saga empreendida e concluída por estas leoas de verdade, traduzida na suprema felicidade de alcançarem o título de Campeãs Nacionais, façanha descrita ao pormenor em SPORTINGCOMFILTRO, cuja leitura recomendo vivamente.

Um exemplo a seguir por todas as "aves palradoras" que ainda vão poluindo a saudável atmosfera leonina!...

Este é o Sporting que eu amo!...

Leoninamente,
Até á próxima

Entregar lá para Maio18, a cabeça à fúria tripeira!...


NUNO, JÁ FOSTE

«A "crise de títulos" do Porto não é só responsabilidade de um treinador, mas é responsabilidade do próximo treinador acabar com ela. Tem sido. Quando títulos não há, remodela-se a chicote. Nada de novo. Este Porto está mesmo muito diferente.

Não era assim. Durante anos – décadas! – o Porto dependia tão pouco dos treinadores para continuar a ganhar que eles chegaram a ser afastados depois serem campeões. Porque havia uma pessoa mais importante do que todos. O Porto não tinha estrutura, tinha Jorge Nuno Pinto da Costa.

Esta verificação não foi pondo os treinadores em segundo plano, não desde José Maria Pedroto. Mas pôs sempre o presidente em primeiro plano. Tudo mudava, sobretudo depois dos anos 80, mudavam treinadores, saíam jogadores, mas o presidente era a nau para qualquer mar e o mastro e a vela para qualquer vento. Já não é. E assim se vão reciclando treinadores, cuja escolha e equipa são condicionadas pela situação financeira do clube. Vão sendo triturados sem glória. 

Agora é Nuno Espírito Santo. Não foi um bom treinador, como se vê agora pelos resultados, mas também pelo que se foi vendo com o tempo, um tipo de jogo sem rasgo, temente, prudente, que entusiasmou os portistas tanto quanto o sol entusiasma a areia.

O Porto está com uma gripe há anos, não tem dinheiro para curá-la nem já liderança suficiente para terminá-la. Ao próximo treinador não será pedido menos que isso e pode ser que consiga. Não depende só de si, mas da "estrutura" e da equipa que puder ter. Mas será a ele que pedirão tudo: ou títulos ou a cabeça.»
(Pedro Santos Guerreiro, Opinião, in Record)


O mal de outros nunca será lenitivo para os nossos próprios males! Fui pensando nisto à medida que fui lendo a crónica de PSG e recordando o postal que recentemente aqui publiquei sobre a mesma matéria, mas centrada em Alvalade em vez das Antas.



E cheguei a uma conclusão deveras interessante: o Sporting em 15 épocas sem o título de campeão atingiu a "bonita" média de 1,133 treinadores por ano; o Porto nas 4 temporadas que já leva sem pôr a mão no caneco, terá conseguido surpreender, ultrapassando por escassas décimas é certo, a média conseguida em Alvalade, com 1,500 treinadores por ano, que tudo aponta virá a superar com a contratação do substituto de NES, seja ele quem for, mesmo que o mundo ainda venha a virar do avesso e seja Jorge Jesus a atravessar a Ponte do Freixo e a ocupar a "cadeira de sonho", em vez do sonso do Marco Silva, agora a fazer-se de caro e a queimar os fusíveis do Jorge Nuno.

E como quanto a títulos estaremos conversados, face à inevitabilidade ditada pela "cartilha escarlate", seja JJ ou o outro "coninhas sonso vs sonso coninhas", terá que adquirir uma bandeja de prata para, como diz a premonição de PSG...

Entregar lá para Maio18, a cabeça à fúria tripeira!...

Leoninamente,
Até à próxima

PUBLICIDADE